Sociedade

Pitty, Anitta, o machismo e a esteria da internet



No dia 03/12 (quarta –feira), ocorreu um debate sobre liberdade feminina no programa Altas Horas, de Serginho Groisman, baseado em uma pesquisa em que os jovens reforçam comportamentos que oprimem as mulheres  (http://blogmais.org/2014/12/10/48-dos-jovens-acham-errado-mulher-sair-sem-namorado-diz-pesquisa/). Entre as convidadas para debater o tema estavam Pitty e Anitta. Durante toda a semana foi-se discutido o acontecimento, que como a maioria já sabe, houveram divergências das partes, Anitta disse: “As mulheres dão muito mais em cima dos homens. Invertem-se os papeis. Isso é uma coisa que eu acho estranho e os homens pensam mal das mulheres. Não ficam interessados em ter mais nada com elas. Não acham legal” e Pitty rebateu: “É o homem que está errado! Ele não tem que achar nada. Discordo da Anitta. O homem não tem que pensar nada”.

O que deve ser discutido a partir disso, além do tema em si, que permite amplas consideração, reflexões e, claro, mudanças, é a forma como o debate foi repercutido. Vi várias formas de noticiar o debate, desde apenas exposição da fala de cada uma, até ofensas, direcionadas principalmente à cantora Anitta.

Primeiro, como Pitty já deixou extremamente claro, não existe briga (pelo Twitter), apenas oposição de idéias e, que ela está lutando contra o sistema machista e

Pitty desmente Briga em seu twitter oficial

Pitty desmente Briga em seu twitter oficial

patriarcal, e não com a Anitta. Mas, mesmo as pessoas testemunhando essa atitude de sororidade, não compreendem que Anita não é uma vilã, e sim mais uma vítima que reproduz machismo que tem como objetivo inferiorizá-la .

O mais triste é ver que essas pessoas que colocam a Anitta, exatamente como a nossa sociedade quer: inferiorizada, pela destruidora: Pitty, não percebem o quanto que essas atitudes só promovem a inimizade entre mulheres, e que em nada vão beneficiar o movimento feminista. Todas as mulheres sofrem com o machismo, o patriarcado e a misoginia.

Temos, antes de sair desqualificando e censurando as irmãs por seu comportamento, ponderar sobre o porquê que a Anitta defendeu uma ideologia que a oprime. Além de ser mulher e programada para ser conivente com o machismo, Anitta não vem do mesmo berço elitista de Pitty, que provavelmente teve mais oportunidades de adquirir autoconhecimento, etc. Anitta é uma mulher jovem de origem pobre que se embranqueceu. Portanto, é preciso entender ela não tem culpa de opinar sobre algo que já está enraizado na nossa cultura, ao invés de silenciar e a oprimir ainda mais, vamos agir como Pitty, que, por sinal, não sambou, nem destruiu ninguém, ela simplesmente desconstruiu.

 


Comentários Sociais

Respostas

Posts anteriores

48% dos jovens acham errado mulher sair sem namorado, diz pesquisa

Próximo post

4 mitos sobre filhos de pais gays

Isis Teixeira Silva

Isis Teixeira Silva

Tenho 17 anos, gateira desde que me entendo por gente. Vegana, feminista, apaixonada por livros e filmes.

Comentários

Sem comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *