AjudeBons ExemplosCoisas Interessantes

11 maneiras simples de ajudar refugiados no Brasil e no mundo



A morte do menino refugiado Aylan Kurdi, de três anos, à beira do mar na ilha de Bodrum (sul da Turquia), expôs a situação dos milheres de refugiados pelo mundo. A comoção foi geral, mas nem todos sabem como ajudar essas pessoas.

1. Você pode colaborar com os Médicos Sem Fronteiras, que, além de atender refugiados, estão treinando pescadores para fazer salvamentos de refugiados que naufragam.

médicos sem fronteiras

Os Médicos Sem Fronteiras dão atendimento médico a populações refugiadas e recentemente ofereceram um treinamento salva-vidas para pescadores tunisianos, que volta e meia encontram refugiados naufragados no Mediterrâneo.

2. Você pode se tornar um doador da MOAS, organização que mantém um barco patrulhando o Mediterrâneo para salvar refugiados que naufragam.

1

O MOAS, Migrant Offshore Aid Station, foi fundado por um milionário que trabalha com seguros de áreas em conflito (leia um perfil dele e da organização no Guardian — em inglês).

Dá para assistir a um vídeo sobre o trabalho deles aqui.

3. Você pode apoiar o Adus, instituição que acolhe e encaminha refugiados, financeiramente ou tornando-se voluntário.

adus

O Adus foi fundado em 2010 por, entre outros, um neto de refugiado. Há várias iniciativas, como o ApadrinhAdus, em que você pode visitar uma criança, e o Sabores e Lembranças, que são aulas de culinária ministradas por refugiados — como esta aqui, oferecida pela síria Muna Darweesh.

 

4- Você pode fazer uma doação para a Cruz Vermelha, que apoia instituições que trabalham com refugiados, além de servir como observadora da Convenção de Genebra.

cruz vermelha

A instituição está presente, por exemplo, nas áreas de conflito da Síria e da Palestina.

 5. Você pode se tornar um doador mensal da Anistia Internacional, que mantém campanhas pela proteção dos refugiados no mundo todo.

A Anistia também listou cinco pontos para ajudar os refugiados da Síria. É uma forma de entender melhor e se posicionar sobre o assunto.

6. Você pode participar dos programas de ação da Cáritas Arquidiocesana de São Paulo ou fazer uma doação em dinheiro para a Cáritas RJ , que é referência no acolhimento e encaminhamento de refugiados.
cáritas spTambém é possível ajudar com doações pontuais via PagSeguro, doando para as campanhas específicas ou atendendo às necessidades materiais do momento — que geralmente são coisas simples, como cobertores e produtos de higiene. A página deles no Facebook deixa você por dentro das ações e também conta as histórias das pessoas que estão refugiadas.
7-Você pode doar para a Agência da ONU para Refugiados.
onuA Agência atende mais de 51 milhões de pessoas em situação de vulnerabilidade. Também é possível fazer doações pontuais para campanhas específicas, como a da Síria ou do Congo.

8- Você pode fazer uma doação monetária ou material, ou se voluntariar na Missão Paz.missão paz

A Missão, em São Paulo, trabalha para “acolher, entender, integrar e celebrar a vida dos imigrantes e refugiados, sonhando com a cidadania universal”.Foi perto da Missão, que fica no bairro do Glicério, que ocorreu o ataque aos imigrantes haitianos em agosto.

Fonte dos ítens 1 à 8

9- Você pode doar ou se tornar um patrocinador das crianças refugiadas atravéz do Save the Children.learn

Aqui tem uma ação específica para as crianças sírias.

10- Você pode se tornar um doador mensal da UNICEF e ajudar crianças e adolecentes do Brasil e do mundo.

unicef

11- Você pode se tornar um doador da The International Rescue Committee que ajuda pessoas cuja vidas e meios de subsistência foram destruídos pelo conflito.post

Veja o projeto de reconstrução de escolas em um dos campos de refugiados mais antigos do mundo.

Fontes: Save the Children | UNICEF | International Rescue Committee

 


Comentários Sociais

Respostas

Posts anteriores

A emoção desse homem ao ver como sua esposa será com 90 anos de idade

Próximo post

Navio com 5.000 bois vivos afunda e os animais que escaparam foram mortos

Sir. Aulus

Sir. Aulus

Vegano, estudante de Ciência e Tecnologia da Universidades Federal da Bahia. Apaixonado por tecnologia, filosofia, música, teatro, defensor dos direitos animais, humanos e não-humanos. Aprendiz de Jiu-jitsu e amante de bons filmes e livros.

Comentários

Sem comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *